O islã não está crescendo na América Latina

Contrariando as estatísticas de que o islã é a religião que mais cresce no mundo, os números não são tão altos em países latino-americanos

 

Embora haja notícias de que o islã seja a religião que mais cresce no mundo, as estatísticas não se confirmam na América Latina, onde o número de seguidores do Alcorão não acompanha o ritmo registrado em outras partes do mundo, conforme pesquisas atuais. Espera-se que, até o final do século, o islã ultrapasse o cristianismo para se tornar a religião com o maior número de fiéis do planeta.

 

No entanto, um estudo feito pelo Centro de Pesquisas Pew, dos Estados Unidos, que analisa atitudes e tendências, aponta a América Latina como a única região onde a taxa de crescimento da população estimada para 2050 supera com folga o aumento da comunidade muçulmana. O levantamento prevê que, entre 2010 e 2050, a região tenha uma população 27% maior e um incremento de 13% no número de seguidores do islã. Nesse mesmo período, o número de muçulmanos deve crescer 73% em todo o mundo, enquanto o crescimento populacional deve ser de 35%.

 

A pesquisa que leva o título de “O Futuro das Religiões do Mundo”, prevê que, em 2050, o número de muçulmanos seja “quase igual” ao de cristãos, e que, “mantidas as tendências demográficas atuais, o número de muçulmanos deverá ultrapassar o de cristãos até o final do século”. Mas o que explica o fato de o islamismo ser menos popular entre os latino-americanos?

 

Veja abaixo, três aspectos que explicam essa tendência:

 

1. Há poucos fiéis do islã e pouco apelo aos imigrantes, diferente do que se observa nos Estados Unidos e Canadá, onde a imigração impulsiona o crescimento da religião.

 

2. Não há muitas conversões. As pesquisas mostram que as pessoas não são estimuladas a trocar suas religiões pelo islã.

 

3. Número de filhos. O crescimento dos muçulmanos se dá, principalmente, pelo alto número de filhos e sua alta taxa de fecundidade. Na África, por exemplo, onde cada mulher tem em média 5 ou 6 filhos, o islã é muito forte. Já na América Latina, as mulheres têm em média 2 filhos.

 

As pesquisas também relatam quais os países da América Latina com maior número de muçulmanos: Argentina (400 mil), Venezuela (90 mil), Brasil (40 mil), Panamá (30 mil) e Colômbia (10 mil). No Brasil, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), contabilizou que um terço dos muçulmanos vive na região metropolitana de São Paulo. Pode-se concluir então que a igreja na América Latina tem ótimas condições de continuar crescendo e fazendo discípulos, além da liberdade de poder orar pelos nossos irmãos do mundo inteiro.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

ELES SÃO COMO NÓS!

February 4, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes

February 4, 2019