Todos somos responsáveis por alcançar os não alcançados

 

Por Jorge González

 

Se tenho escutado alguma desculpa para não se envolver em missões, é esta: “Este não é meu ministério”. Embora a palavra “missões” não seja encontrada nas Escrituras como tal, entendemos que o mandamento de fazer discípulos em todas as nações é a “missão”, mais conhecida como “A Grande Comissão”, que Jesus deixou a seus discípulos em Mateus 28:19-20. Sobre esta missão, o missionário Hudson Taylor certa vez disse: “A Grande Comissão não é uma opção a ser considerada e sim um mandamento a ser obedecido”.

 

Oswald J. Smith, o fundador da igreja Peoples Church em Toronto, que enviou centenas de missionários, também expressou o descuido enorme da igreja com a missão de fazer discípulos em todas as nações:

“…temos realizado de tudo, menos a única coisa que o Senhor nos mandou fazer. Jesus jamais nos disse que construíssemos colégios, universidades e seminários, mas o temos feito. Ele jamais nos disse que levantássemos hospitais e asilos… mas o temos feito, e devemos fazê-lo porque tudo isso é importante e valioso. Mas a única coisa que, sim, nos disse que fizéssemos, temos deixado sem fazer”.

 

Você pode perguntar-se: por acaso não há cristãos em cada país do mundo? Claro. Mas Jesus não disse que fizéssemos discípulos em cada país e sim em cada nação. A palavra “nação” em grego é etnos, que é a raiz de onde provém nossa palavra etnia. Isso quer dizer que o país México tem muitas nações dentro de si próprio: a nação dos zapotecos, mixtecos, astecas etc. E ainda que haja diferentes formas de distinguir um grupo étnico, um dos mais acertados é o que oferece a página www.joshuaproject.net, a qual diz que existem 16.475 grupos étnicos e se estima que 6.664 ainda permanecem como “não alcançados”.

 

Quando falamos de um grupo étnico “não alcançado”, referimo-nos a uma comunidade de nativos que não conta com uma igreja, crentes, nem suficientes recursos nem assistência externa. Não se deve confundir o termo “não alcançado” com “perdido”. Seu vizinho pode estar perdido sem Cristo, mas nesses termos não significa precisamente que seja um “não alcançado”. Uma pessoa não alcançada não tem nada de acesso ao evangelho, não tem missionários, nem igreja, nem Bíblia em seu próprio idioma. Ao contrário, seu vizinho, ainda que não seja salvo, foi alcançado sim porque tem acesso ao evangelho porque tem a você! Você que tem o evangelho e uma Bíblia está perto dele e ele tem acesso a você e você tem uma missão de compartilhar o evangelho. 40.4 % dos grupos étnicos não têm este tipo de acesso ao evangelho.

 

Talvez tantos números possam cansar-nos um pouco, mas gostaria de expor o ponto ao qual temos descuidado das missões, com três estatísticas.

 

No ano 100 d.C. havia doze grupos não alcançados por cada congregação; agora há um grupo não alcançado por cada 1.000 congregações (Winter et al, 3).

 

Estima-se que para cada dólar doado à igreja para qualquer causa, menos de um centavo se destine às missões entre os grupos não alcançados. De alguma maneira, se tem acreditado inconscientemente ou conscientemente que este mandamento é seletivo. Isso quer dizer que não é para todos e sim para uns poucos. Alguns no passado têm argumentado que esta tarefa só foi outorgada aos doze apóstolos. Mas esta postura está claramente distante do que ensinam as Escrituras. Podemos ver no livro de Atos que os que levaram o evangelho à Judéia e Samaria não foram os apóstolos e sim o povo comum, a Igreja do Senhor em todo seu conjunto (At 8:1-4).

Por último, porque há uma grande falta de intencionalidade de ir aos povos não alcançados, os poucos missionários que se enviam, em sua maioria vão aos povos já alcançados. Só um em cada dez missionários vai aos não alcançados.

 

Então, qual é a solução? A solução é que vejamos nas Escrituras a paixão que tinha o próprio Paulo quando disse:

“Esforçando-me, deste modo, por pregar o evangelho, não onde Cristo já fora anunciado, para não edificar sobre fundamento alheio; antes, como está escrito: Hão de vê-lo aqueles que não tiveram notícia dele e compreendê-lo os que nada tinham ouvido a seu respeito” (Romanos 15:20-21).

Irmãos, abracemos a Grande Comissão, abracemos a paixão que em seu momento teve Paulo e o próprio Senhor Jesus Cristo de estender seu precioso evangelho a todo lugar. Talvez você pense, “eu não tenho o chamado de ir a um lugar não alcançado”, mas não se esqueça que você pode apoiar financeiramente ou assumir o compromisso de orar seriamente por missões e missionários.

Façamos missões juntos, levantemo-nos para orar, ir e enviar.

 

Jorge Adrián González é o representante do ministério Ontheredbox na América Latina e líder de jovens na Igreja Missão da Graça, em El Paso, Texas. É graduado em Comunicações na Universidade do Texas em El Paso.

 

Fonte: The Gospel Coalition

 

www.thegospelcoalition.org/coalicion/article/todos-somos-responsables-por-alcanzar-a-los-no-alcanzados

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

ELES SÃO COMO NÓS!

February 4, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes

February 4, 2019